21 Fatos Sobre Publicidade Online

  1. 2/3 dos consumidores podem se lembrar de uma marca específica que viram anunciada no celular na última semana (Fonte)
  2. 91% das pessoas dizem que os anúncios são mais intrusivos hoje do que há dois anos (Fonte)
  3. 81% dos consumidores fecharam um navegador ou uma página por causa de um anúncio pop-up (Fonte)
  4. Apenas cerca de 4% dos visitantes convertem antes de sair de um website – sem o remarketing de PPC, você perderia 96% dos visitantes para sempre (Fonte)
  5. 46% dos usuários da Internet não conseguem perceber a diferença entre os anúncios pagos e os links orgânicos nas páginas de resultados de pesquisas (Fonte)
  6. Os principais mecanismos de pesquisa de anúncios pagos são (em ordem de importância) Google, Yahoo e Bing (Fonte)
  7. Google Ads e Facebook PPC Ads são os dois maiores anunciantes da Internet. O Google atualmente detém 37,2% do mercado de publicidade digital, enquanto o Facebook detém 19,6% (Fonte)
  8. Os canais de PPC mais eficazes em 2017-18 foram: anúncios de texto, remarketing, dispositivos móveis, social media, Google shopping e rede display (Fonte)
  9. Espera-se que nos próximos anos o Google Ads e o Facebook devem dominar a arena dos gastos digitais. Outras plataformas, incluindo Instagram, Linkedin e Pinterest, permanecerão relativamente mais fáceis de obter resultados desejados em termos de gastos para expandir sua presença on-line (Fonte)
  10. 87% das empresas de blockchain entrevistadas nos últimos anos acreditam que os anúncios de texto são os mais eficazes para atingir os clientes potenciais (Fonte)
  11. As estatísticas de PPC são mais fáceis de medir do que as estatísticas de SEO, tornando mais fácil para os profissionais de marketing rastrear o ROI e gerenciar orçamentos (Fonte
  12. 70% dos consumidores preferem aprender sobre produtos por meio de conteúdo, у não por anúncios tradicionais.(Fonte)
  13. O comércio foi o setor que mais movimentou a compra de mídia em 2018, com alta de 15% em relação a 2017 (Fonte)
  14. 30% dos profissionais de marketing acreditam que as táticas de Outbound marketing são sobrevalorizado (Fonte)
  15. As estatísticas de pagamento por clique (PPC) mostram que os resultados do Google AdWords recebem 65% dos cliques, enquanto os resultados orgânicos recebem apenas 35% (Fonte)
  16. 66% das palavras-chave focadas no cliente são cliques pagos (Fonte)
  17. O Google informa que os anúncios da Rede de Pesquisa podem aumentar o reconhecimento da marca em até 80%, tornando os consumidores mais propensos a lembrar sua marca e interagir (Fonte)
  18. Ao analisar dados de anunciantes que trabalham com anúncios da Rede Display e anúncios da Rede Display Responsivos, o Google observou 50% mais conversões com um custo por aquisição (CPA) semelhante ao usar anúncios gráficos responsivos e anúncios gráficos em comparação com o uso só de anúncios gráficos (Fonte)
  19. Mais de 70% dos anunciantes estão usando os lances automatizados (Fonte)
  20. Em média, os anúncios gráficos responsivos com vários títulos, descrições e imagens geram 10% mais conversões com o mesmo CPA em comparação a um anúncio com um único conjunto de recursos.(Fonte)
  21. Os anúncios de 300×250 (ou”retângulo médio”) são o tipo de anúncio mais popular entre os anunciantes no nicho do Shopping, deixando os outros formatos atrás (Fonte)

Como escrever boletins informativos por e-mail eficazes

Imagine um mundo em que todos os e-mails que você enviou impactaram diretamente os resultados da sua empresa. Um mundo em que as taxas de abertura são altas, os leitores estão interessados ​​e cada novo envio resultou em mais chamadas, mais doações e mais pessoas se inscrevendo para dar suporte causa.

Está mais perto do que você imagina

Se você já estiver enviando um boletim informativo por e-mail para sua organização, provavelmente já viu como os boletins informativos eficazes podem ser gratificantes.

E enquanto você pode ter espaço para melhorias, com alguns ajustes simples você poderá em breve estar no seu caminho para melhores resultados de marketing por e-mail.

Esses cinco recursos podem servir como diretriz para o seu próprio marketing por e-mail e ajudar a identificar áreas nas quais você pode fazer melhorias.

1. Os boletins informativos por e-mail são relevantes

As pessoas ficaram incrivelmente eficientes em filtrar mensagens que não são relevantes para elas. Pense na sua própria experiência. Se você for como a maioria das pessoas, percorra sua caixa de entrada, ignorando uma grande quantidade de informações que você vê, até que algo apareça e chame sua atenção.

Se você deseja que as pessoas abram e se envolvam com seu boletim informativo por e-mail, você precisa garantir que as informações ressoem com elas. Isso começa com a linha de assunto que você usa para conectá-los e também deve ser refletida no conteúdo e nas imagens que você decide incluir.

Antes de clicar em enviar, pergunte a si mesmo: essa informação será do interesse do meu público? Se você não pode responder com um sim definitivo, você tem mais trabalho a fazer.

2. Os boletins informativos por e-mail são úteis

A relevância atrairá as pessoas e as abrirá para receber suas mensagens. A utilidade irá mantê-los voltando e inspirá-los a continuar prestando atenção sempre que seu nome aparecer na caixa de entrada.

Na maioria dos casos, um boletim de e-mail útil simplesmente fornecerá ao seu leitor informações relevantes que eles não tinham antes. Uma mensagem bem cronometrada sobre um evento futuro ou um novo desenvolvimento pode ajudar muito a manter seu público envolvido.

Além do conteúdo que você cria, também é possível procurar compartilhar conteúdo de fontes externas que você acha que seu público iria gostar. Isso ajudará a posicionar seu boletim informativo como um recurso para informações úteis que as pessoas não vão querer perder.

3. Os boletins informativos por e-mail são lidos

53% dos emails são abertos em um dispositivo móvel. Se você não está projetando seu boletim informativo com dispositivos móveis em mente, já pode estar dificultando a leitura e o envolvimento de um número cada vez maior de inscritos com seu conteúdo.

A criação de e-mails compatíveis com dispositivos móveis começa escolhendo o modelo de e-mail correto. Usar um modelo de coluna única tornará seu conteúdo muito mais flexível para todos os tamanhos de tela.

Você também quer pensar na quantidade de conteúdo que você inclui. O E-GOI analisou recentemente 2,1 milhões de e-mails de clientes da empresa e descobriu que – com algumas exceções específicas do setor – os e-mails com três ou menos imagens e aproximadamente 20 linhas de texto resultam nas taxas de cliques mais altas dos assinantes de e-mail.

4. Os boletins informativos por e-mail são Consistentes

A consistência é importante – tanto na aparência de suas mensagens quanto na frequência com que você se comunica com sua lista.

Com que frequência você envia e-mails dependerá de sua organização e do tipo de informação que deseja compartilhar. No mínimo, você deve chegar ao seu público pelo menos uma vez por mês para que você possa ficar em primeiro lugar.

Você também vai querer pensar em quando enviar sua mensagem. Em uma análise recente de e-mails sem fins lucrativos, o E-GOI descobriu que as organizações obtiveram as maiores taxas de abertura às segundas-feiras de manhã.

Você pode testar dias e horários diferentes e usar seus relatórios de e-mail para acompanhar seus resultados.Depois de determinar os horários em que você obtém as maiores taxas de abertura, continue com isso. Com o tempo, as pessoas começarão a antecipar sua newsletter e estarão mais propensas a clicar para abrir.

5. Os boletins informativos por e-mail são acionáveis

Cada boletim informativo por e-mail deve incluir uma ação que você deseja que as pessoas realizem.

Às vezes isso vai ser algo simples – como visitar seu site ou blog para saber mais. Mas você também quer levar as pessoas a realizar ações mais significativas – como fazer uma doação, inscrever-se para ser voluntário ou se envolver em um evento futuro.

Quando você se sentar para criar seu próximo boletim informativo, pense na ação mais importante que você deseja que as pessoas realizem. Diga aos seus leitores o que você quer que eles façam, e torne isso realmente fácil para eles.

Não tenha medo de começar pequeno

Quando feito corretamente, seu boletim informativo por e-mail se tornará uma das ferramentas mais valiosas para alcançar as pessoas que mais importam para sua organização.

Não tenha medo de começar pequeno. Concentre-se em uma área da sua newsletter que você gostaria de melhorar neste mês. Experimente e veja como seu público responde. A cada nova melhoria, você verá mais aberturas, taxas de cliques mais altas e resultados mais significativos para sua organização.

Pensando em criar sua newsletter? Posso ajuda-lo a implementar e otimizar os resultados, fala comigo!

Conheça o seu público-alvo: 10 perguntas a fazer

O primeiro passo em uma estratégia de comunicação ou marketing é definir o seu público-alvo para que você possa adaptar a sua mensagem ou “pitch” em conformidade.

Para as empresas, este é geralmente o seu típico consumidor potencial de um produto ou serviço. Para uma organização sem fins lucrativos podem ser clientes potenciais para um programa específico, voluntários para uma iniciativa, defender e espalhar uma mensagem, ou doadores para apoiar uma causa.

É tudo sobre equilíbrio. Se você tentar chegar a todos, provavelmente não vai agradar a ninguém, mas se apenas um grupo de pessoas atender a todos os seus critérios, você alcançará a maioria dos seus objetivos.

Sempre que possível, tente manter suas campanhas de marketing para um público-alvo orientado pelo produto ou serviço. Diferentes produtos podem frequentemente ter diferentes públicos-alvo.

A Gillette criou várias linhas de aparelhos de barbear para segmentar diferentes públicos-alvo com base no preço e no gênero. Da mesma forma, uma organização sem fins lucrativos pode querer definir públicos-alvo para clientes, voluntários e doadores separadamente (mesmo que haja alguma sobreposição).

Em outros casos, um único produto pode ter vários nichos de clientes que exigem um marketing completamente diferente. Por exemplo, um local de evento comercializaria o mesmo espaço de maneiras completamente diferentes para casamentos e festas de negócios, ou uma organização sem fins lucrativos poderia adotar diferentes abordagens de captação de recursos com estudantes universitários e executivos de empresas.

As 10 perguntas a seguir foram elaboradas para ajudá-lo a identificar melhor seu público-alvo, para que você possa ajustar suas mensagens e alcançar o resultado desejado com mais eficiência.

1. Qual é a ação desejada do seu público-alvo?

  • Comprar seu produto ou serviço
  • Doar para sua organização
  • Voluntário para um evento
  • Defender espalhando a palavra e educar outros

2. Quais grupos demográficos têm maior probabilidade de realizar a ação desejada?

Descobrir não só quem tem necessidade de seu produto ou serviço, mas também quem tem maior probabilidade de agir (comprar, doar, ser voluntário). Considere os seguintes fatores, mas tenha cuidado para não reduzir demais as coisas.

  • Grupo de idade
  • Sexo (M, F, ambos)
  • Localização (local, cidades, nacional e/ou urbano, periferia, rural)
  • Estado civil / familiar
  • Nível de renda
  • Nível de educação
  • Ocupação

Nota: Embora você possa querer considerar outras variáveis por exemplo – características pessoais como “raça”, eu não recomendo. Na maioria dos casos, determinar abertamente estas características em particular coloca você em risco por mais problemas do que por benefícios.

3. Como eles pensam?

  • Tipos de personalidade
  • Atitudes
  • Valores
  • Interesse / Passatempos
  • Estilos de vida
  • Comportamentos

4. Que necessidades, desafios e frustrações eles têm?

Entender onde estão as necessidades e frustrações do seu público ajuda a mudar a conversa de como elas podem ajudá-lo (“compre meu produto”) para como você pode ajudá-lo.

Muitas vezes isso é comunicado de forma muito sutil. Você não verá organizações sem fins lucrativos dizendo: “Sabemos que você sente a necessidade de pertencer a algo que seja legal e cause impacto. Nós também, então você deveria nos dar dinheiro.”

5. Como sua ideia, serviço ou produto ajuda seu público-alvo?

Qual problema isso resolve? Como isso facilita a vida deles? Melhor? O que os motivaria a pagar por isso?

6. O que os leva a tomar decisões de compra? (ou doação, voluntariado, partilha, etc.) 

O que os influencia a dar esse passo final? Quais obstáculos podem estar no caminho deles? Um produto com o qual trabalhei fez um trabalho incrível em marketing para os usuários em potencial de nosso produto e gerou toneladas de interesse e entusiasmo com um orçamento de publicidade de praticamente zero.

Infelizmente, subestimamos significativamente os desafios que esses clientes em potencial empolgados teriam para convencer aqueles que detêm os recursos da organização para autorizar a compra do serviço. O tempo que fomos forçados a gastar em demos e e-mails com esses líderes através dos benefícios nos atrasou e aumentou os custos de aquisição de contas.

7. Eles atualmente usam (ou compram) um produto ou serviço de sua empresa ou de uma empresa similar?

Nesse caso, isso significa que eles demonstraram um interesse ativo em seu tipo de produto ou serviço (bom), mas podem estar abertos a novas oportunidades ou podem estar satisfeitos com a maneira como as coisas são.

8. Quais mídias eles usam atualmente?

Considere as revistas que eles leem, canais e filmes que eles assistem, sites que visitam, sites de mídia social que frequentam. Para mídias sociais, considere os horários em que eles estão mais ativos e com que tipos de conteúdo eles se envolvem (acompanhamentos, cliques, comentários, menções, curtidas e compartilhamentos), vá em frente, bisbilhote as postagens de seus atuais clientes.

9. Como você pode alcançar melhor seu público-alvo?

É tudo sobre equilíbrio. Se você tentar chegar a todos, provavelmente não vai agradar a ninguém, mas se apenas um grupo de pessoas atender a todos os seus critérios, você alcançará a maioria dos seus objetivos.

Você também deve questionar suas suposições. Eles realmente se beneficiarão do seu produto ou serviço? Se assim for, eles reconhecerão o suficiente para gastar o dinheiro necessário (ou tempo)? Você realmente entende o que acontece no processo de tomada de decisões ou está apenas adivinhando? Por fim, quão realista é que você será capaz de alcançá-los com sua mensagem?

10. Você está confiante de que escolheu o público-alvo certo?

Não tem certeza de uma resposta ou quer verificar um palpite? Eu compilei uma lista de recursos de pesquisa de mercado que podem ajudá-lo a encontrar esse tipo de informação. Além disso, um pouco de persistência ajuda, o Google pode ser bastante útil para rastrear pesquisas que outras pessoas já elaboraram para seu público alvo. Pesquise posts de blogs, artigos de revistas e resultados de pesquisas que falam sobre o seu mercado. Você também pode considerar a criação de uma pesquisa própria, na qual poderá solicitar feedback a seus clientes atuais, normalmente esta é a mais poderosa e que traz mais resultados.

Definir o mercado é a parte difícil. Agora que você sabe quem você está segmentando, deverá achar muito mais fácil descobrir quais mensagens de marketing entrarão melhor em contato com eles e quais canais de mídia serão mais eficazes para alcançá-los.

Se precisar de minha ajuda para definir seu publico alvo, estou a disposição.